O paradigma reinante da hipermodernidade